Mineiro: Presidente do Cruzeiro critica marcação de jogo para Domingo

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, criticou duramente a Federação Mineira de Futebol (FMF) após a marcação da partida de volta da semifinal do Campeonato Mineiro, entre Cruzeiro e Atlético, no Mineirão, para domingo, às 16h00. A Raposa queria jogar o clássico decisivo no próximo sábado para não enfrentar nova maratona, como acontece agora, de entrar em campo com menos de 60h de intervalo. O artigo 25 do Regulamento Geral de Competições da CBF, inclusive, veda essa situação, permitindo apenas em casos excepcionais.

O dirigente celeste acusou a FMF de representar os interesses do Atlético. “É um absurdo. A Federação tinha que representar os interesses dos clubes, mas ela só representa uma única equipe. Todo mundo sabe que o presidente é atleticano, já tirou foto com taça do Atlético. A família dele toda é atleticana, a Federação Mineira de Futebol é atleticana, ficou claro agora. Representa unicamente o Atlético”, disparou, em entrevista ao Superesportes.

Com a definição da FMF, o Cruzeiro enfrentará o Atlético no domingo (19), às 16h, e, na terça-feira (21), às 20h30, pegará o Universitario, no Mineirão, pela última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

A Raposa contava com a promessa do presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Castellar Neto, para jogar no sábado e, inclusive, já vendeu ingressos para o jogo de volta para esta data.

“A decisão da Federação Mineira de Futebol é de tirar o corpo fora, falando que a Globo requisitou. O presidente da entidade falou que não iria prejudicar o Cruzeiro duas vezes seguidas. Nesse fim de semana, jogamos no domingo e agora entraremos em campo na terça. No próximo fim de semana, a mesma coisa. O presidente me falou que o Cruzeiro jogaria no sábado, tanto que já começamos a vender ingressos para o sábado. A Federação Minera vai prejudicar o Cruzeiro duas vezes por causa do chororô do Atlético”, disse, em referência à declaração do presidente alvinegro, Daniel Nepomuceno, bancando que a partida de volta seria no domingo.

“Se o jogo fosse sábado não prejudicaria nenhum clube. A partida foi no domingo não é por causa da TV, é porque o presidente da federação não tem coragem de ir contra os interesses do Atlético”, comentou o presidente celeste.

www.superesportes.com.br

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.