Acusado de matar namorada é preso durante apresentação à Polícia Civil

Cleiton Júnior Barbosa, 28 anos, acusado de ter assassinado Josiane Aparecida Fernandes Cerqueira, 23 anos, foi preso em Manhuaçu pela Polícia Civil. O crime aconteceu  na noite de 29 para 30 de maio no bairro São Jorge. Após os fatos, Cleiton era considerado foragido da Justiça. Ele se apresentou acompanhado do advogado e foi preso.

De acordo com a delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – DEAM, Dra. Adline Rodrigues, as investigações foram concluídas em tempo recorde e enviadas à justiça, onde o Juiz havia decretado a prisão de Cleiton. “Ouvimos as testemunhas que relataram detalhes do crime. Segundo o relato da irmã da vítima e do namorado, Josiane havia terminado o relacionamento com Cleiton no dia anterior e mesmo assim ele insistia em continuar e os dois estavam conversando através de aplicativo de mensagens, quando ele ouviu a voz do namorado da irmã da vítima e tomado pelos ciúmes foi imediatamente para a casa de Josiane e quando a irmã abriu a porta, ele foi direto para o quarto da ex-namorada e a executou com disparos de arma de fogo, na frente da filha de apenas 03 anos de idade e na saída ainda ameaçou a irmã e o namorado dela”, relatou a delegada.

Durante as investigações, a equipe de DEAM apurou que Cleiton já havia se envolvido em outra ocorrência de ameaça contra uma ex-namorada em outubro de 2018, mas com Josiane, não havia conhecido de registros ou agressões. “Isso, a irmã de Josiane nos contou que ela nunca tinha reclamado de agressões ou ameaças de Cleiton contra ela, se houve alguma coisa, ela guardou pra ela. O registro em nossos arquivos é anterior ao fato e a vítima das ameaças é outra pessoa”, disse Dra. Adline.

Cleiton foi autuado pelo crime de feminicídio. “Feminicídio é o homicídio de mulheres como crime hediondo quando envolve menosprezo ou discriminação à condição de mulher e violência doméstica e familiar. A lei define feminicídio como “o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino” e a pena prevista para o homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos”, explica.

Prevenção

Dra. Adline destacou que nos últimos casos de feminicídio registrados na DEAM/Manhuaçu, nenhum deles, a mulher se sentia ameaçada ou havia feito qualquer tipo de representação contra seus agressores. “Por isso a importância da denúncia, ou até mesmo procurar a delegacia para se orientar, conversar e se abrir. Estamos aqui para ouvir as mulheres. Infelizmente aconteceu esse fato, com muita crueldade e sem proporcionar chance de defesa à vítima” completa.

Cleiton foi encaminhado ao Presídio de Manhuaçu, onde ficou à disposição da justiça.

Informações PC/Portal Caparaó

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.