Reconhecimento: Alunos recebem menção honrosa pela Olimpíada de Matemática

Seis alunos da Escola Estadual Maria de Lucca Pinto Coelho obtiveram menção honrosa pela participação na 14º Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), competição organizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), em parceria com a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

A olimpíada distribuiu, entre os estudantes de escolas públicas, um total de 500 medalhas de ouro, 1.500 de prata, 4.500 de bronze e 40.946 menções honrosas. Os alunos de escolas particulares receberam 75 medalhas de ouro, 225 de prata, 675 de bronze e 5700 menções honrosas. Também foram premiados professores, escolas e secretarias de educação de municípios que se destacaram em virtude do desempenho dos alunos.

Em Manhuaçu, 29 alunos da Escola Estadual Maria de Lucca Pinto Coelho participaram da segunda fase e seis foram contemplados com menções honrosas – Marcos Henrique Ferraz Ribeiro e seu irmão Pedro Afonso Ferraz Ribeiro, Maria Luiza Taveira Pinto, Tainara Roberta Dias, Carlos Eduardo Camilo Vieira e Jamila Barbosa dos Santos. O educandário possui uma integração importante entre corpo docente e discente, sendo assim, pode-se dizer que a escola é uma organização cuja função se encontra na necessidade de preparar os indivíduos para o desempenho de funções sociais: o seu papel é difundir a sabedoria e esta é necessária para o funcionamento da sociedade. Reduz a ignorância e, por isso, permite que os indivíduos tenham uma conduta esclarecida. Assegura o ajustamento profissional, pois qualquer profissão requer uma quantidade considerável de conhecimentos.

Segundo o vice-diretor da Escola Estadual Maria de Lucca Pinto Coelho, João Paulo Cordeiro de Castro, a escola é o meio social em que alunos e professores interagem na construção do saber e agir nela é também agir sobre os atores escolares e elementos simbólicos que a constituem, e isso requer entendimento dos processos que nela ou com ela decorrem e das finalidades que lhe são socialmente cometidas. A escola muda na medida em que é compelida a mudar pela necessidade da função social que exerce, em ritmos, circunstâncias e elementos que se tornam difíceis de identificar e integrar “Entendo que é de fundamental importância termos claro qual a função social da escola na sociedade contemporânea para podermos, como professores, definirmos a nossa prática pedagógica em consonância com a função dessa escola. Portanto, é necessário que a mesma tenha um Projeto Político Pedagógico explicitando como ela é, que identidade quer construir e como executar as ações definidas pela comunidade escolar”, analisa.

Em apuração realizada por João Paulo Cordeiro e a equipe do educandário ficou constatado que apenas 5% dos estudantes mineiros da rede pública de ensino conseguem alcançar da menção honrosa até a medalha de ouro. Ele exalta o desempenho dos alunos da instituição que conseguiram um feito digno para uma escola de tamanha relevância para Manhuaçu e Região. “Em nossa escola seis alunos conseguiram a menção honrosa – quatro do turno da tarde e dois do turno da manhã. É uma prova com alto grau de dificuldade e feita em duas fases. Na primeira todos os alunos das escolas participaram. A segunda fase é composta pelos alunos que conseguiram o índice para ingressar nesta fase. E os resultados são compostos pelas medalhas de ouro, prata e bronze e pela menção honrosa – feito que nós conseguimos com muito orgulho”, afirma.

Valorização do professor

Com tantas mudanças pelas quais a educação vem passando nas últimas décadas, a importância do educador no processo de aprendizagem também tem sido questionada. A interação professor-aluno, hoje, é muito mais dinâmica. O professor deixou para trás a função de mero transmissor de conhecimentos para se tornar um orientador, um estimulador que guia os alunos na construção de seus próprios conceitos, valores, atitudes e habilidades.

Numa sociedade cada vez mais acelerada e exigente, os desafios da atualidade requerem educadores competentes, criativos e ousados, que apresentem novas propostas para um mundo em constante mutação. Na metodologia interacionista, o desempenho do professor passa, diretamente, pelas escolhas que ele faz. Segundo o vice-diretor da entidade, para o trabalho do professor ser de fato bem-sucedido, é fundamental a contribuição dos pais, que devem confiar e acreditar no trabalho da escola.

Pais seguros passam confiança aos filhos, facilitando a relação professor e aluno. E para gerar confiança, a escola precisa oferecer profissionais competentes, capacitados e que contam com o apoio de coordenadores preparados, além de acesso a um material testado, aprovado e com registro de ótimos resultados. “O professor exerce uma tarefa muito importante diante da sociedade por lidar com a formação de seus pares, fazendo com que eles evoluam significativamente por intermédio de ações assertivas, sábias e tipicamente planejadas. Ensinar é uma das atividades mais nobres a ser desempenhada pelo ser humano. Aqueles que se dedicam a incorporar essa notável incumbência herdam um tesouro eterno e absolutamente glorioso. Desta forma, todo educador é dotado de qualidades extraordinárias que o fazem ser majestoso, criativo e único”, destaca João Paulo.

Desempenho nas olimpíadas

Criada em 2005 com o objetivo de popularizar o ensino da Matemática entre estudantes do ensino fundamental e médio, a OBMEP registrou este ano um novo recorde de escolas inscritas com um total de 54.498 instituições, abrangendo 99,44% dos municípios de todo o país. O número total de inscritos foi de 18.237.996 estudantes do ensino fundamental e médio, oriundos de 48.970 escolas públicas e 5.528 escolas particulares. A prova da 1ª fase aconteceu no dia 5 de junho. Após a correção das provas, realizadas nas próprias escolas, um total de 952.856 estudantes foram classificados para a segunda fase, realizada no dia 15 de setembro, sendo 906.706 alunos de escolas públicas e 46.150 de escolas privadas.

Para o estudante Marcos Henrique Ferraz a situação é mais surpreendente porque ele e seu irmão Pedro conseguiram obter a premiação e sua mãe se emocionou com o feito, haja vista que trabalha o dia inteiro para ajudar na renda de casa e ficou impressionada com a capacidade dos filhos em desenvolver um talento único para a ciência exata.

A aluna do sétimo ano um, Maria Luiza Taveira, explica que sempre se esforçou para obter bons resultados em Matemática e nas outras disciplinas. “Eu estudei bastante para as provas e gosto de Matemática – que é minha matéria preferida. Vou levá-la por toda a minha vida, pois será importante para o meu futuro”, explica.

Outra aluna, do sétimo ano dois, Tainara Roberta Dias, informa que o interesse pela matéria surgiu desde pequena e ao longo dos anos a apreciação pela Matemática só aumentou. Atualmente ela acha fácil aprender, pois a facilidade em entender os números vem de longa data.

Informações Danilo Alves – Tribuna do Leste

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.