Belo Horizonte: Polícia Civil prende quadrilha especializada em roubos de carga. Agia na região de Manhuaçu

caminhaoroubadomcu

Caminhão furtado em Manhuaçu (MG), nos últimos dias

caminhaoroubadomcu1(1)A Polícia Civil apresentou na manhã da quinta-feira, 15/01, cinco homens suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em furto e roubo de cargas de aço, alumínio e polietileno na BR-381, próximo a Contagem, na Grande BH e na BR-116, entre Minas e Espírito Santo. Conforme a investigação, eles são autores de ao menos dez roubos com prejuízo estimado em aproximadamente R$ 2 milhões. Eles vão responder por formação de quadrilha, roubo e lavagem de dinheiro.

O grupo foi preso em flagrante na última quinta-feira, depois de roubar uma carga de R$ 140 mil na BR-116, em Manhuaçu. Eles venderiam a carga em João Monlevade, onde foram encontrados. Além deles, a polícia apreendeu uma caminhonete L200 e um Toyota Corolla.

Conforme o delegado Marcus Vinícius, Wendel Fernando da Silva, 27 anos, e Felipe Frisso da Silva, 32, abordavam as vítimas. Além deles, Carlos Nascimento Gonçalves, guiava os caminhões roubados, todos comandados por Ner Neves Junior, 50 anos. O último integrante apresentado é Gilson Shammai Costa, 40, que fazia a intermediação entre a quadrilha e os receptores das cargas.

A investigação da Polícia Civil começou em agosto do ano passado, quando uma carga de aço, avaliada em R$ 200 mil, foi roubada na BR-381, em Contagem. Após levantamento, os policiais encontraram a carreta roubada em um galpão, na cidade de Sete Lagoas. Em seguida, a carga foi localizada em poder de uma empresa de São Paulo.

Durante o trabalho, a equipe policial traçou o perfil da quadrilha. Eles não são apontados como violentos e tinham como objetivo principal o roubo das cargas. Sempre agiam em postos de combustíveis localizados à beira das estradas, onde os caminhoneiros costumam descansar em pousadas ou parar para fazer refeições. Nestes locais, eles rendiam o motorista e o levavam para cativeiros escondidos em matas. Enquanto isso, outra parte do grupo fazia a venda da carga.

A Polícia Civil percebeu então, que tratava-se de uma quadrilha interestadual, sendo que alguns integrantes eram do Espírito Santo e contavam com um intermediador mineiro, neste caso, Gilson Costa. Eles distribuíam os material roubado por Minas, Rio de Janeiro e São Paulo. Ainda conforme o delegado, entre os 10 roubos apurados pela polícia, três chamam mais a atenção, os criminosos levaram 125, 200 e até 400 toneladas de aço ou alumínio.

Ainda de acordo com o delegado Marcus Vinícius, a investigação continua, pois as empresas que recebiam o material roubado também podem responder por lavagem de dinheiro.

 Paulo Filgueiras/EM/D.A Press – Andréa Silva

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *