Evangelho do dia (Mt 15,29-37)

AUTOESCOLAMANHUACU

BELESPartindo dali, Jesus foi para as margens do mar da Galileia, subiu à montanha e sentou-se. Grandes multidões iam até ele, levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos, e muitos outros doentes. Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou. O povo ficou admirado, quando viu os mudos falando, os aleijados sendo curados, os coxos andando e os cegos enxergando. E glorificaram o Deus de Israel. Jesus chamou seus discípulos e disse: “Sinto compaixão dessa multidão. Já faz três dias que estão comigo, e não têm nada para comer”. Não quero mandá-los embora com fome, para que não desmaiem pelo caminho. ‘ Os discípulos disseram: ‘Onde vamos buscar, neste deserto, tantos pães para saciar tão grande multidão?’ Jesus mandou que a multidão se sentasse pelo chão. Depois tomou os sete pães e os peixes, deu graças, partiu-os e os deu aos discípulos, e os discípulos os distribuíram às multidões. Todos comeram e ficaram saciados; e encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.

Comentário

O mar da Galileia e suas margens ocupam um lugar privilegiado na vida pública de Jesus. É um lugar de reunião, de ensinamento, de revelação do mistério do Reino de Deus. A montanha evoca o monte Sinai e é lugar de encontro e de revelação do mistério de Deus e de seu plano salvífico. Onde quer que Jesus vá, ele é cercado pelas multidões que apresentam a ele todas as suas carências e enfermidades. As enfermidades elencadas em nosso texto e sua cura por Jesus evocam Is 35,5-6, que tem um alcance messiânico. Acolhendo as pessoas e curando os seus males, Jesus se revela como o Messias prometido. Segue-se às curas o segundo relato da multiplicação dos pães. A compaixão move o coração de Jesus. É esse dinamismo divino interno que levou Jesus a entregar-se totalmente à vontade de Deus e a não poupar a própria vida para que todo o povo de Deus, resgatado, pudesse ter a vida em abundância. O relato tem claramente uma conotação eucarística (cf. 36). Toda a vida de Jesus entregue para a salvação do povo de Deus é o verdadeiro alimento espiritual que sustenta o povo da nova aliança que ele reúne.

Carlos Alberto Contieri, sj – www.paulinas.org.br

ORAÇÃO AO DIVINO PAI ETERNO

Aqui estamos para prestar-vos a nossa homenagem.

Nós cremos em vós, Pai Eterno, nosso Pai e nosso Criador.

Confiamos em vossa bondade e poder.

Queremos amar-vos sempre, cumprindo vossos mandamentos e servindo ao vosso Filho Jesus, na pessoa de nossos irmãos.

Nós vos damos graça pelo vosso amor e pela vossa ternura.

Vós nos atraís ao vosso Santuário e nos acolheis de braços abertos. Vós nos guiais com os ensinamentos do vosso Filho, Nosso Senhor, e nos dais sempre o vosso perdão.

DIVINO PAI ETERNO, QUEREMOS CONSAGRAR A VÓS:

Nossas famílias, para que vivam em paz e harmonia;

Nossas casas, para que sejam iluminadas pela vossa presença.

Nossas alegrias, para que sejam santificadas pelo vosso amor.

Nossas preocupações, para que sejam acolhidas em vossa bondade;

Nossas doenças, para que sejam remediadas com a vossa misericórdia;

Nossos trabalhos, para que sejam fecundos com a vossa bênção.

DIVINO PAI ETERNO,

Recebei a homenagem da nossa fé, fortalecei a nossa esperança e renovai o nosso amor. Dai-nos o dom da paz e da fidelidade à vossa Igreja. Pela intercessão de Nossa Senhora, mãe do vosso querido Filho, dai-nos a perseverança na fé e a graça da salvação eterna.

Amém!

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.