Manhuaçu: Funcionários da Prefeitura fazem manifestação

DSC01283

Concentração na Praça Doutor César Leite

DSC01299

Presidente do sindicato da classe, Jaime Ferreira (Jaiminho)

DSC01349

Passeata percorreu ruas do centro

DSC01376

Manifestantes protestaram em frente a Prefeitura de Manhuaçu

DSC01345Servidores públicos de Manhuaçu (MG) organizaram e promoveram,  na quarta-feira, 19/11, manifestação contra Decreto do prefeito Nailton Heringer. No Decreto está determinado o aumento da carga horária trabalhada. Todos os serviços municipais foram paralisados por 24 horas de acordo com a Legislação vigente.  Outras demandas também foram levantadas pela classe. A mobilização começou com concentração na Praça Doutor César Leite, seguindo para o centro da cidade, onde está localizado o Paço Municipal.

Reivindicações da classe

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintram), Jaime Rodrigues Ferreira, o Jaiminho, disse durante a manifestação que  a situação dos servidores está complicada: “Tivemos concurso com carga horária para seis horas e outro para oito horas. Agora, o prefeito publicou um decreto ampliando para oito horas, sem modificar salário e começou a dizer que não irá mudar a carga horária. Os servidores estão temerosos, pois não têm uma garantia real disso”, afirma.

“Queremos a progressão na carreira. São mais de vinte anos sem essa atualização. Não acredito que irá dar alguma vantagem salarial grande, mas é um direito do servidor. Ao mesmo tempo, não temos a data-base do reajuste do salário e a remuneração só vai se achatando”, frisou.

A paralisação de 24 horas foi o primeiro passo dado pela categoria depois de uma série de reuniões e tentativas de entendimento com a Prefeitura. Jaime Ferreira argumenta que estarão promovendo outras ações nos próximos dias.

Como determina a lei, o serviço de atendimento de urgência e emergência foi mantido funcionando, mas com a capacidade reduzida para 30% das atividades essenciais. Postos de saúde não abriram e outros setores também paralisaram nesta quarta.

“Tivemos o bom senso de não fazer uma greve. Esse protesto é um alerta. Futuramente, se não houver uma resposta do prefeito, iremos partir para a paralisação por tempo indeterminado”, avisou Jaiminho.

A mobilização também teve apoio da Federação dos Sindicatos dos Servidores Municipais. O presidente Cosme Nogueira esteve em Manhuaçu acompanhado de lideranças de outros sindicatos municipais. “Estamos aqui para apoiar os servidores. Vimos servidores em precárias condições de trabalho, a prática de assédio moral e sofrendo com a defasagem salarial. Sem o servidor público, o que seria de Manhuaçu? Não podemos fingir que eles não são os nossos educadores, profissionais da saúde, trabalhadores que fazem obras e mantêm a cidade limpa”, pontuou.

Cosme admite que a insatisfação pode se transformar numa greve. “Peço apoio da população de Manhuaçu para que fique do lado dos servidores públicos. O verdadeiro patrão dos servidores é a população e não o prefeito. A população precisa compreender que não estamos querendo prejudicá-la. A paralisação foi a única forma que encontramos de manifestar as dificuldades. Houve várias reuniões e tentativas de entendimento, mas a prefeitura não acenou com um diálogo verdadeiro com o sindicato”.

 

Como parte da manifestação foi protocolado na Prefeitura as reivindicações dos servidores (a revogação do Decreto, a volta do Estatuto do Servidor, a instituição de uma data-base e uma progressão na carreira decente. Os trabalhadores vão esperar a resposta da Administração Municipal até terça-feira. Quarta-feira tem Assembleia, às 18h, na Câmara.

Luiz Nascimento, com informações Portal Caparaó – fotos Mateus Bitencourt Vargas – contato@manhuacunews.com.br

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *