Crítica: dirigente reclama de bandeirinha “bonitinha”

Alexandre Mattos voltou a reclamar da arbitragem no Campeonato Brasileiro. Depois de ver o Cruzeiro ser prejudicado no clássico contra o Atlético, o dirigente repetiu a atitude das rodadas anteriores da competição e voltou a falar sobre os erros contra o clube na competição.

O clássico vencido pelo Atlético por 2 a 1, de virada, o Cruzeiro reclamou do pênalti marcado a favor do rival, do pênalti ‘cometido’ por Otamendi, ao cortar um lance de Luan com o braço e de um impedimento inexistente em um contra-ataque, onde o meia-atacante Alisson sairia cara a cara com o goleiro do adversário.

O diretor de futebol do Cruzeiro reclamou bastante da arbitragem, que prejudicou o clube nos quatro jogos do Brasileirão. “Quarta rodada e a quarta vez que o Cruzeiro é prejudicado. Fomos prejudicados na Bahia, mas vencemos. Nos prejudicaram contra o São Paulo, contra o Atlético-PR e contra o Atlético. E o que acontece? Nada. O Cruzeiro vem fazendo as reclamações, mandando fitas, conversando com as comissões de arbitragem e pedindo para não ser prejudicado. Não queremos ser ajudados, mas não aceitaremos mais ser prejudicados”, disse.

A grande vilã do clássico, segundo Alexandre Mattos, foi a bandeirinha Fernanda Colombo Uliana. Criticada durante a semana após errar em um lance contra o São Paulo, ela foi escalada para o jogo no Independência e falhou em um lance crucial, que poderia ser o empate do Cruzeiro.

“Ai a gente pega essa bandeira, bonitinha, que estava ali no canto. Os caras gritam no ouvido dela e como ela não tem preparo, levanta a bandeira, porque fica apavorada. Isso porque ela tinha errado na rodada passada, o São Paulo fez as reclamações e ela ganha de presente isso. Provavelmente ela vai ganhar um clássico de presente na próxima rodada do Brasileiro. Estão tentando promover ela porque ela é bonitinha e não é por ai. Ela tem que ser boa de serviço, profissional e competente. O erro dela foi muito, muito, muito anormal, coisa de quem está começando uma carreira”, completou.

As reclamações do dirigente se estenderam ao árbitro Heber Roberto Lopes, que segundo Mattos, teve uma atuação que não foi normal. “O Heber foi de uma estranheza muito grande. Nós tínhamos uma tranquilidade muito grande para sua arbitragem antes da partida. Mas não foi normal a gente tem que reclamar pela quarta vez em quatro jogos”, concluiu.

Fonte: www.superesportes.com.br

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *