Manhuaçu: funcionários do Hospital Cesar Leite realizam manifestação

hcl1 hcl2 hcl3Insatisfeitos com o posicionamento da diretoria do Hospital Cesar Leite, em não conceder o reajuste em 12%, os funcionários decidiram realizar uma manifestação, a fim de chamar a atenção do Provedor do HCL e da população.

Na manhã desta terça-feira, 04/02, manifestantes exibindo cartazes, faixas e contra cheque no  valor de R$ 756,00 de remuneração ao serviço de um técnico em enfermagem e palavras de ordem, como forma de denunciar juntamente com a  diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde de Manhuaçu o  descaso da diretoria do HCL, que enviou contraproposta de 0,0%.

Desde a assembleia realizada semana passada, 27/01, os funcionários ficaram revoltados com o posicionamento da direção do Hospital Cesar Leite, que diz não ter condição de garantir nenhum reajuste, mesmo sabendo da defasagem salarial.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde de Manhuaçu, João Guilherme Filho, a situação é crítica para quem trabalha com dedicação, responsabilidade e, não tem reconhecido o esforço através de uma remuneração à altura da função que exerce. Ao mesmo tempo, ele repudia a atitude da administração do HCL  investindo em construção, enquanto os funcionários ficam no “gargalo” quando chega o fim do mês.

Demonstrando muita indignação, o técnico em enfermagem, João Salvador exibe o contracheque no valor de R$ 756,00 e conta que, há 27 anos trabalha no HCL e hoje é obrigado vir para  a rua, a fim de demonstrar que a situação está terrível.

Ele questiona e diz não entender, o motivo do não reajuste e a construção do novo prédio, que segundo ele será um “elefante branco”, investimentos variados e até a compra de um Corolla para  a diretoria. João Salvador ressalta que, a defasagem do salário deve chegar a mil reais. “Se a administração do HCL não der uma satisfação coerente, capaz de convencer, os funcionários vão entrar em greve geral. Queremos é tão somente nosso direito. Se errarmos, somos obrigados assinar advertência e somos punidos. E quando é do outro lado, nada acontece”, desabafa.

A técnica em enfermagem, Maria das Graças Silva Franco destaca que tem muita coisa errada que a diretoria do hospital não viu. Gastos desnecessários que ela estará levando para a administração avaliar. Ela ressalta que o custo de vida em Manhuaçu é o maior do Brasil e,  ganhar um salário baixíssimo não consegue viver bem.  “Para sobreviver é preciso fazer um verdadeiro malabarismo. Para garantir a sobrevivência, sou obrigada a fazer “bicos”, mesmo estando cansada do plantão feito no HCL, “frisa a técnica em enfermagem.

Procurado pela reportagem, o provedor do Hospital Cesar Leite, Dr. Sebastião Onofre de Carvalho explicou que no momento, torna-se muito difícil atender a reivindicação dos funcionários. Ele considera que a manifestação é justa, na busca de melhoria salarial. Mas, ressalta que todas as entidades filantrópicas estão passando por uma situação difícil. Novamente reforçou, que o exercício de 2013 está fechando com um defícit de 1 milhão de reais. “O Ministério da Saúde nos deu um incentivo em torno de R$ 260.000,00, mas, segundo ele há um receio de que, após a Copa do Mundo, a verba venha a ser suspensa para 2015”, diz o provedor. Perguntado sobre a possível greve, o provedor do HCL destaca que fica temeroso caso venha ocorrer, mas espera que o impasse possa ter um final feliz.

Diante da negativa de que 12% e o posicionamento do provedor, o sindicato e os funcionários estarão realizando uma passeata nesta quinta-feira, 06, com início às 08:00. Os funcionários sairão do trevo do Cafeicultor até à Praça Dr. Cesar Leite, para que a população possa entender o que  está acontecendo e anunciaram que, uma greve pode ser determinante.

Da redação Manhuaçu News

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *