Manhuaçu: morador do Bom Jardim desaparecido. Falta apoio do município, diz família

Roberto Pereira Marques“A última vez que falei com ele foi no dia 22 de dezembro: Assim disse Madalena Marques, moradora do  Bairro Bom Jardim ao falar do desaparecimento de seu irmão, Roberto Pereira Marques, 46, que há sete meses encontra-se internado numa clínica para tratamento de alcoolismo, em Coronel Fabriciano.

De acordo com Madalena Marques, o desespero está a cada instante tomando conta dos familiares, que estão tentando todas as  formas para localizar o irmão, que falou com ela por telefone na tarde do último dia 22 de dezembro e, ainda disse que gostaria de vir a Manhuaçu para visitar as duas filhas. Ela detalha que, no dia 23, véspera do Natal, o coordenador da clínica ligou informando que, Roberto Pereira Marques havia sumido. Para Madalena Marques, naquele momento iniciava uma tormenta.

Segundo a irmã do desaparecido, a segunda decepção foi quando procurou a pessoa responsável na Prefeitura de Manhuaçu (Assistente Social), que fez o encaminhamento do rapaz à clínica Fonte de Água Viva, para tratamento contra o alcoolismo.

Com tristeza, Madalena Marques detalha que ao fazer contato com o setor de assistência social sobre o sumiço de Roberto Pereira, apenas recebeu como resposta e conforto de que, o problema não era da assistência social e nem do CAPS AD. “Agora todos se esquivam, não se responsabilizam e nem ajuda na localização do rapaz. Ele saiu  sem dinheiro, sem saber para onde ir. Ele também usa remédio controlado. Fica um jogo e ninguém quer me ajudar”, reclama Madalena Marques.

Segundo ela, a cada instante é uma sensação horrível por não ter nenhuma informação do irmão e, nem sequer a colaboração do setor competente do município e, nem da clínica onde estava internado. Para complicar mais a situação, o esposo também está com problema de saúde que exige cuidado. Por outro lado, as pessoas que fizeram o encaminhamento, agora estão virando as costas para os familiares.

Mesmo tentando ser forte, Madalena Marques chega a se emocionar quando fala de como o caso está sendo tratado, o descaso por parte do setor competente do município de Manhuaçu e, os responsáveis pela clínica que não estão atendendo nem a ligação dos familiares. “Em Manhuaçu, a assistente social disse que se tiver morrido, alguém vai achar o corpo e comunicar. Enquanto isso, a indignação fica machucando cada um dos familiares”, desabafa Madalena Marques.

Qualquer informação a respeito de Roberto Pereira Marques poderá ser repassada para os telefones  (33) 8434-7441 ou 9167-0232, ou a Delegacia de Polícia  pelo telefone (33) 3331-1020. Ele tem 46 anos, estatura mediana, moreno, cabelo preto raspado.

Eduardo Satil

 

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.