Sonhar é pouco para o atacante Kenedy

kenedi-jogador-futebolNo chamado país do futebol, são muitas, incontáveis as crianças que um dia já sonharam em se tornar jogadores. Agora, entre imaginar-se diante de um estádio cheio quando estão apenas no quintal e decidir realmente sair de casa para perseguir algo que já tenha virado um objetivo de vida, há uma enorme diferença, não? Ainda mais quando você tem apenas nove anos de idade.

Pois foi o que fez o atacante Kenedy, uma das apostas da Seleção Brasileira na Copa do Mundo Sub-17 da FIFA. “Foi muito cedo, mas saí sozinho, em busca do meu sonho”, diz ao FIFA.com o garoto, com a maior naturalidade, sem romantizar muito uma experiência que, para muitos, deve parecer impensável. Ele simplesmente arrumou a mala e deixou a modesta Santa Rita do Sapucaí, de pouco mais de 40 mil habitantes, no interior de Minas Gerais, e caiu na estrada.

Foi uma trajetória que o levou para diversos destinos, levando sua pequena bagagem para cima e para baixo. Primeiro passou pelo Friburguense. “Ficava na concentração, com meus amigos e também havia mais gente da minha cidade no clube, ficava com eles”, conta. A partir daí, ele enumera: “Tive uma passagem pelo Vasco, joguei no São Paulo e no Atlético Mineiro”. Até que chegou ao Fluminense para ficar, em 2009, se firmando de vez no Rio de Janeiro.

Rodagem
Quatro anos depois, após fazer estrago nas categorias de base com seu jogo vigoroso, considerado completo, saltou etapas e hoje já pertence ao elenco de profissionais do clube, tendo disputado partidas do Campeonato Brasileiro na atual temporada. “É um jogador no qual a gente acredita muito. No meu modo de ver, possui quase todos os fundamentos de um bom atleta, como cabeceio, passe, finalização, além da força e da estatura. A gente espera que ele não sinta pressão e consiga superar as expectativas”, afirmou o diretor de futebol do Flu, Rodrigo Caetano, quando o clube optou pela promoção do mineiro.

Kenedy dividiu, então, o vestiário com gente como os campeões da Copa das Confederações da FIFA 2013 Fred e Diego Cavalieri, além do agora aposentado Deco. De modo que, não só pela precoce rodagem, pode ser considerado um raro caso de jogador “experiente” num Mundial Sub-17, guardando as óbvias e devidas proporções.

“Quando sobe, gente tem muita coisa para tirar desse contato. Eles passam muitos conselhos. Aí, quando a gente chega na nossa categoria, é bom, porque tem a oportunidade de passar o que aprende lá em cima”, conta o atleta, que anotou seis gols durante o Sul-Americano e, aliás, já foi até campeão de um torneio internacional no Oriente Médio. Pelo Flu, ele foi um dos destaques na conquista da Al Kass International Cup deste ano, superando clubes como Real Madrid, Internazionale, Liverpool, Paris Saint-Germain, Boca Juniors e outros.

Metas diversas
Nos Emirados Árabes, recuperando aos poucos o ritmo de jogo depois de ser afastado dos gramados por conta de uma lesão no púbis, o atacante vem saindo do banco de reservas. Para as quartas de final contra o México, com o meia Boschilia, artilheiro da equipe até o momento, suspenso, há uma vaga aberta para ser aproveitada.

Ainda em busca de seu primeiro gol na competição, algo que vai deixar qualquer homem de frente ansioso, Kenedy não deixou de influenciar a campanha brasileira, causando impacto em campo com sua explosão física e um chute violento. Qualidades que ficaram evidentes contra Honduras, pelo encerramento da fase de grupos, e Rússia, pelas oitavas. Na primeira partida pelos mata-matas, ele entrou aos 66 minutos, quando o placar ainda estava em 0 a 0. Aos 72, o Brasil pulou à frente.

“Fiquei satisfeito, entrei e fiz minha parte, ajudando o grupo. Quando você é chamado, tem de entender como pode contribuir. Tem de ficar sempre pronto”, afirma. “Vamos confiantes. Enfrentamos alguns desfalques, mas temos peças no banco que também podem somar.”

Virar um profissional no futebol. Vestir a camisa da Seleção. Jogar uma Copa do Mundo da FIFA. É tudo aquilo pode parecer um sonho – ou objetivo – muito distante para qualquer garoto brasileiro, mas Kenedy já conseguiu. Agora basta trabalhar outras metas.  “Se tudo der certo, espero poder fazer meu gol, buscar mais uma vitória e tentar esse título.”

FIFA Notícias

Compartilhe

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *